PESSOAL NESTE BLOG EU TRATO DE TUDO UM POUCO SOBRE INFORMÁTICA. ESTE BLOG SERVE EM PARTE PARA MIM COMO UM BLOCO DE NOTAS. PUBLICO AQUI MUITO ASSUNTO DE QUE ME PEDEM. ESPERO K APRECIEM ,

18
Mar 10

@
Em português dá-se o nome de ''arroba'' a este símbolo. A arroba é utilizada nos endereços de Email (redacao@truquesedicas.pt) e significa ''at'' (em).

Attachment
Em Português: Anexo. A frase ''esta mensagem de Email tem um attachment'' significa que a mensagem tem um ficheiro em anexo. Um ficheiro anexo a uma mensagem é normalmente representado por um ''clip''.

Backbone
Se traduzirmos livremente esta palavra para Português ficamos com ''espinha dorsal''. Podemos dizer, por exemplo, que as ligações entre todos os pontos de acesso de um fornecedor de acesso Internet formam um backbone uma vez que esse conjunto de ligações é essencialmente a ''espinha dorsal'' de toda a rede do fornecedor de acesso.

Bit (Binary Digit)
O BiT é a mais pequena unidade utilizada para medir quantidades de informação. Um BiT é um algarismo (0 ou 1) e a um conjunto de oito bits dá-se o nome de byte. Nos textos electrónicos, por exemplo, cada letra é representada por um byte, ou seja, um conjunto de oito bits.

Bookmark
Em português: Favoritos ou, e se traduzirmos à letra, marcador de livro. A função Bookmark (favoritos) encontra-se normalmente nos browsers (o Internet Explorer ou o Netscape Navigator) para marcar uma página que se pretende visitar mais tarde. A página ''marcada'' é adicionada à lista de favoritos que é acessível no menu correspondente.

Browser
O Browser é o nome genérico do programa que nos permite navegar na Internet. Os mais populares são o Internet Explorer e o Netscape Navigator (pode instalar as versões mais recentes de ambos a partir do seu IP-ROM).

Bug
Um bug é um erro num programa (software) ou mesmo num equipamento (hardware) que provoca uma acção inesperada. Um bug pode ser uma falha de segurança num programa, a incapacidade de lidar com datas posteriores a 31 de Dezembro de 1999, entre muitas outras falhas.

Byte
O Byte é uma unidade que permite medir a quantidade de informação e é, normalmente, o conjunto de oito bits. Uma letra num texto electrónico, por exemplo, ocupa um byte.

CGI (Common Gateway Interface)
CGI é a abreviatura de Common Gateway Interface, uma tecnologia utilizada para fazer a ''ponte'' entre o browser e as aplicações de servidor. Os programas de servidor a que damos o nome de CGIs são utilizados para desempenhar inúmeras tarefas, como por exemplo processar os dados inseridos em formulários, mostrar banners publicitários, permitir o envio de notícias para amigos, etc.

Cache
A cache é a parte da memória do computador ou do disco rígido que armazena dados frequentemente requisitados, de modo a aumentar a rapidez de acessibilidade. Os browsers mais populares (Internet Explorer e Netscape Navigator) criam um espaço no disco para utilizar como ''cache'' para que as páginas web já visitadas pelo utilizador fiquem guardadas e apareçam mais rapidamente quando as volta a visitar.

Comércio Electrónico
Este é o nome genérico que se dá à compra e venda de bens e serviços via Internet. A todo o tipo de comércio que ocorra na Internet dá-se este nome.

Cookies
Se traduzirmos à letra significa ''bolachas''. Os cookies são pequenos ficheiros criados pelo Internet Explorer (ou Netscape Navigator) a pedido do web site que se está a visitar. Um cookie contém normalmente um número de série. Quando se visita de novo o web site que gerou o cookie, o servidor do web site repara que já existe um cookie e assim percebe que o utilizador já visitou o site. O servidor apenas pode lêr o número de série contido no cookie e nada mais. O servidor não pode saber quem o utilizador é nem pode obter qualquer tipo de informações pessoais.

Correio Electrónico (Email)
O Email, também conhecido por correio electrónico, é o envio e recepção de mensagens electrónicas através de um programa apropriado. Para enviar uma mensagem para um amigo que possui um endereço de correio electrónico, basta utilizar um programa de Email (por exemplo o Outlook Express que pertence ao pacote de programas incluidos no Internet Explorer) e digitar o endereço do destinatário, o assunto e o texto da mensagem. Quando se efectua o envio da mensagem, ela demora, normalmente, poucos segundos a chegar à "caixa" de Email do destinatário. Da próxima vez que o destinatário se ligar à Internet e verificar a caixa de Email, recebe a mensagem.

Crash
Traduzido à letra ''crash'' significa ''choque'' ou ''acidente''. Quando o computador fica paralizado diz-se que ocorreu um ''crash''. Este termo pode também ser aplicado a um programa individualmente, isto é, se um dos programas ficou paralizado mas o resto do PC está funcional, diz-se que o programa ''crashou''. Muitos utilizadores já utilizam o verbo ''crashar'' embora esta palavra não faça oficialmente parte do vocabulário português.

Domínio
Também chamado sub-domínio, é o nome dado ao computador no qual está alojado o servidor das suas páginas. Este domínio pode ser real, se o computador apenas tiver um nome, ou pode ser virtual, se o computador for conhecido por diversos nomes, i.e., se nele residirem vários domínios. Em linguagem corrente, Domínio é utilizado muitas vezes como o nome que identifica uma entidade (organização, marca, produto) na Internet. O domínio é composto por um nome e por um sufixo (ex. ip.pt).

Download
Traduzido à letra significa ''carregar para baixo''. Quando se está a transferir um ficheiro de um web site para o computador está a fazer-se um download.

Encriptar
Procedimento que codifica o conteúdo de uma mensagem ou ficheiro, impedindo deste modo a sua leitura por utilizadores não autorizados. São técnicas muito utilizadas para proteger e assegurar a privacidade e segurança na transferência de dados confidenciais.

Endereço IP
Um endereço IP é uma sequência de algarismos (exemplo: 195.23.110.161) que representa o endereço de um computador que está ligado à Internet. A cada computador ligado à Internet corresponde um endereço IP. Os endereços sob a forma www.nome.pt são utilizados para não ser necessário decorar números. Ao endereço www.nome.com corresponde um endereço IP.

FAQ (Frequently Asked Questions)
Em Português: Perguntas Frequentes. Uma FAQ (Frequently Asked Questions), é um conjunto de respostas às perguntas mais frequentes, colocadas pelos utilizadores de determinado site, produto ou serviço.

FTP (File Transfer Protocol)
FTP significa "File Transfer Protocol". Através deste protocolo é possível efectuar a transferência de ficheiros pela Internet de uma maneira fiável. Actualmente existem programas que utilizam exclusivamente este protocolo, para que se possam efectuar transferências de ficheiros de uma forma prática. A função mais comum do FTP é o "download" de ficheiros, embora muitos programas já executem esta função, se bem que utilizem, normalmente, um protocolo mais lento e menos fiável do que o FTP. Com este tipo de programas também é permitido enviar ficheiros (upload) para áreas de FTP. O upload é mais utilizado para colocar páginas on-line.

Firewall
Traduzindo à letra Firewall significa ''Parede de Fogo''. Uma firewall é um programa, um equipamento ou uma combinação dos dois que protege uma rede de computadores (de uma empresa por exemplo) para que os utilizadores de internet não possam aceder a zonas confidenciais da rede protegida. Uma firewall consegue também limitar aquilo que os utilizadores da rede protegida conseguem fazer para fora (impedindo o acesso a determinados web sites, ou limitando o uso de programas de video-conferência, etc).

Freeware
Em português: programa (software) gratuito. Um programa do tipo Freeware pode ser utilizado sem qualquer pagamento e sem nenhuma restrição.

GIF (Graphics Interchange Format)
um tipo de ficheiro com formato de imagem. Muitas das imagens visualizadas nas páginas Web estão em formato GIF. Estes ficheiros têm a extensão .gif

HTML (Hyper Text Markup Language)
À linguagem utilizada para produzir páginas web dá-se o nome de HTML, ou seja, produzir um ficheiro html é sensivelmente a mesma coisa que produzir uma página web.

HTTP (HyperText Transfer Protocol)
O ''protocolo'' utilizado para navegar na web é o http, isto é, ao escrever ''http://www.nome.pt/index.html'' estamos a dizer ao browser para transferir o ficheiro index.html, que está no servidor www.nome.pt, com o protocolo http.

Hacker
Em termos gerais um hacker é alguém que gosta de explorar todos os aspectos dos sistemas informáticos, incluindo sistemas de segurança. Hackar é um verbo normalmente utilizado para descrever a violação de um sistema informático. A palavra ''hacker'' significa, para a maioria dos utilizadores, a pessoa que viola a segurança de sistemas informáticos.

Hiperligação
Esta é a tradução literal de ''Hiperlink''. As palavras ou imagens de uma página web nas quais é possível clicar chamam-se links, hiperlinks ou hiperligações.

Home Page
Este termo quer normalmente dizer ''página principal de um web site''. A Home Page de um web site é a sua página principal. A home page de um utilizador pode ser a sua página pessoal, mas pode também ser a página que carrega quando se abre o browser (Internet Explorer ou Netscape Navigator).

IRC (Internet Relay Chat)
O IRC (Internet Relay Chat) é o serviço que permite conversar com outros utilizadores em tempo real, em modo de texto. Ao utilizar um programa para este tipo de serviços (por exemplo o mirc) pode escolher um de muitos servidores de conversa disponíveis, um "nick" (pseudónimo) que pode ser o seu nome verdadeiro ou um nome inventado, e de seguida escolher um dos muitos canais (também chamados de salas) para conversar com os utilizadores que aí estiverem presentes. Tudo aquilo que escrever numa determinada sala pode ser lido pelos utilizadores da sala, e tudo aquilo que os outros utilizadores escreverem pode ser lido por si. É ainda possível conversar em privado com um só utilizador.

ISDN (Integrated Service Digital Network)
Em Portugal as linhas telefónicas do tipo ISDN são conhecidas pelo nome RDIS. Este tipo de linhas telefónicas permitem ligações à Internet a velociades de 64 kbits/segundo. Para ligar o computador a uma linha RDIS utiliza-se uma placa apropriada ou um ''modem RDIS''. As linhas RDIS têm outras utilizações (para além de serem utilizadas para fazer chamadas telefónicas normais) e têm uma assinatura mensal superior à linha telefónica tradicional. Na linha RDIS o preço dos impulsos e a sua duração é igual à linha telefónica tradicional.

ISP (Internet Serviçe Provider)
Em Português: Fornecedor de Acesso Internet. As empresas através das quais os utilizadores se ligam à Internet são Fornecedores de Acesso Internet.

Internet
A Internet é a rede das redes, que é formada por um vasto conjunto de redes independentes ligadas entr si. A Internet liga computadores de diferentes tipos e dimensões e permite a comunicação entre pessoas de diferentes países, raças e culturas.

Intranet
A uma rede interna (dentro de uma empresa ou residência) que tem um servidor web internet e outras ferramentas de comunicação dá-se o nome de Intranet. Esta rede pode, naturalmente, estar ligada à Internet, mas o facto de possuir um web site interno apenas disponível para os funcionários da empresa é o suficiente para se dizer que é uma Intranet.

JPEG (Joint Photograhic Experts Group)
É um tipo de ficheiro com formato de imagem. Muitas das imagens visualizadas nas páginas Web estão em formato JPEG. Estes ficheiros têm a extensão .jpg

Java
Linguagem de programação que possibilita criar interactividade em páginas Web. A utilização de pequenos programas em Java também designados por Applets, permite criar diversas funções, tais como, animações, cálculos e outros truques.

kbps
Abreviatura de ''kilobits per second'' ou seja, kilobits por segundo. Esta é a unidade de medida da velocidade de transmissão da informação. Quando se diz que um modem tem a velocidade de 33.6 kbps significa que ele é capaz de transferir 33.6 kilobits de informação por segundo.

Kilobyte
É uma unidade que permite medir a quantidade de informação. Um kilobyte equivale a 1024 bytes (e não a mil bytes como a palavra pode kilo pode sugerir).

Largura de Banda (Bandwidth)
Velocidade máxima que uma determinada ligação permite. Por exemplo: ao ligar o computador ao fornecedor de acesso internet com um modem de 33.6 kbps estabelece-se uma ligação cuja largura de banda é 33.6 kbps. Ao transferir um ficheiro a velocidade máxima que é possível atingir é de 33.6 kbits por segundo.

Mailing List
Em português: Lista para envio de Correio. Uma mailing list é uma lista à qual o utilizador pode adicionar o seu endereço de correio electrónico para receber mensagens do moderador da lista e/ou dos restantes membros. Alguns web sites têm mailing lists para manter os seus membros informados das novidades e nas quais o utilizador se pode inscrever digitando o endereço de Email numa pequena ''caixa'' presente no web site.

Megabyte
É uma unidade que permite medir a quantidade de informação. Um megabyte equivale a 1024 kilobytes.

Modem
Esta palavra resulta da junção das palavras modulador e desmodulador. Dá-se o nome de modem ao aparelho que transforma dados analógicos em digitais e vice-versa. O modem é o pequeno aparelho (ou placa) que liga o computador à linha telefónica para estabelecer a ligação com o fornecedor de acesso Internet.

Netiquette
Em português: Netiqueta (etiqueta na Internet). Ao conjunto de regras de boas maneiras para utilização da Internet dá-se o nome de Netiqueta.

Newsgroups
Em Português: grupos de notícias ou grupos de discussão. Os Newsgroups permitem, aos utilizadores de todo o mundo, trocar ideias entre si através de mensagens que todos podem ler. Imagine, por exemplo, um placard na cafetaria de uma escola que está visível a todos. Se colocar uma mensagem todos os alunos a podem ler. Qualquer um pode, da mesma forma, colocar uma mensagem em resposta à sua. Agora imagine que existe um placard para cada assunto diferente. Os newsgroups funcionam de uma forma muito semelhante.

POP (Point of Presence)
Em Português: Ponto de Presença. Um POP é, normalmente, um servidor de um fornecedor de acesso internet instalado numa determinada localidade para permitir a ligação por chamada local. Se um fornecedor de acesso Internet tem um POP em Coimbra isso quer dizer que os utilizadores de Coimbra se podem ligar ao fornecedor de acesso por chamada local.

Plug-in
Utilitário que aumenta a funcionalidade de um determinado programa. Para conseguir navegar em páginas web com funcionalidades especiais é necessário instalar os ''plug-ins'' no browser (Internet Explorer ou Netscape Navigator) correspondentes a essas funcionalidades.

Proxy
Um servidor proxy está encarregue de ''navegar'' nas páginas em nome do utilizador e guardar essas página no seu disco, ou seja, se o Internet Explorer do utilizador estiver configurado para navegar com o ''proxy'' do fornecedor de acesso, as páginas visitadas pelo utilizador ficam guardadas no proxy. Quando um outro utilizador pretende visitar a página que já foi visitada pelo primeiro utilizador, o acesso à página é mais rápido porque já estava guardada no proxy do fornecedor de acesso.

QuickTime
O QuickTime é o nome de um pequeno programa (também disponível em formato de plugin) que permite visualizar videos neste formato criado pela Apple. Da mesma forma que para ouvir músicas no formato RealAudio é necessário instalar o Real Player, para ver vídeos no formato QuickTime é necessário instalar o Quicktime ''player''.

RDIS (Rede Digital Integradora de Serviços)
Tipo especial de linhas telefónicas comercializado, em Portugal, pela Portugal Telecom. Este tipo de linhas telefónicas permitem ligações à Internet a velociades de 64 kbits/segundo. Para ligar o computador a uma linha RDIS utiliza-se uma placa apropriada ou um ''modem RDIS''. As linhas RDIS têm outras utilizações (para além de serem utilizadas para fazer chamadas telefónicas normais) e têm uma assinatura mensal superior à linha telefónica tradicional. Na linha RDIS o preço dos impulsos e a sua duração é igual à linha telefónica tradicional.

Router
Computador ou Software que interliga duas ou mais redes. Os Routers passam todo o seu tempo à procura dos endereços de destino dos pacotes que por ele passam, encaminhando-os para outros endereços de destino, de acordo com o protocolo utilizado. Para que uma rede de computadores, por exemplo de um escritório, se ligue à Internet é necessário instalar um router (o aparelho) ou um programa que desempenhe o papel de router (instalado no servidor da rede).

Servidor (Server / Host)
Computador central, que administra e fornece informação a outros computadores-clientes. Existem servidores Web que disponibilizam páginas online, servidores de mail que distribuem mensagens, etc.

Shareware
Tipo de programa (software) que é disponibilizado para que o utilizador o possa testar e que necessita de um registo (pagamento) para que se possa utilizar após o período inicial de testes. Existem muitos programs disponíveis na Internet que são deste tipo.

Spam
Correio electrónico ''lixo''. As mensagens publicitárias que são enviadas para muitos utilizadores ao mesmo tempo e que não foram pedidas por esses utilizadores são consideradas spam. A maioria dos fornecedores de acesso proíbe este tipo de práticas, e os utilizadores que enviarem mensagens publicitárias a muitos utilizadores que não as pediram podem ser banidos do fornecedor de acesso.

Streaming
Este termo tem origem na palavra ''stream'' que em português significa ''corrente'' (no sentindo de corrente de um rio por exemplo). Na Internet este termo aplica-se sobretudo ao vídeo e audio que o utilizador começa de imediato a ver mesmo quando o ficheiro não chegou todo ao computador. Ou seja, o vídeo/som começa a ''chegar'' ao computador do utilizador e é de imediato colocado no monitor, e à medida que o ficheiro continua a ser transferido o seu conteúdo continua a ser mostrado. O audio e vídeo dos eventos que são transmitidos em directo via Internet utilizam esta tecnologia.

TCP/IP (Transmission Control Protocol/Internet Protocol)
É o protocolo de comunicação básico da Internet, para interligar redes cujos componentes usam sistemas operativos distintos. Podemos dizer que o TCP/IP é o conjunto de regras técnicas que os computadores utilizam para enviar e receber informações na Internet e nas Intranets.

TIFF (Tag Image File Format)
É um tipo de ficheiro com formato de imagem. Este formato é muito pouco utilizado em páginas web mas é bastante popular por entre os designers e por aqueles que necessitam de gravar uma imagem com uma boa ''resolução''. Estes ficheiros têm a extensão .tif

Telnet
Este é um dos serviços da Internet menos conhecidos e permite efectuar a ligação a um computador em modo de texto e trabalhar nesse mesmo computador como se o utilizador estivesse sentado à sua frente. Ao utilizar um programa apropriado o utilizador efectua uma ligação Telnet ao computador pretendido e digita comandos (normalmente unix) para trabalhar no computador.

URL (Universal Resource Locator)
O endereço de uma página web que se escreve na barra de endereços do browser (Internet Explorer por exemplo) é um URL. Aos endereços de ftp completos (ftp://nomedoservidor.com/ficheiro.zip) também se dá o nome de URL. Um URL é composto pelo nome do protocolo (por exemplo 'http://') o nome do servidor (www.servidor.pt) e nome do ficheiro (/index.html). Quando o url não tem o nome do ficheiro (exemplo: http://www.servidor.pt/) o servidor assume que se está a pedir o ficheiro 'index.html'.

Upload
Upload é o processo inverso de download, isto é, consiste no acto de transferir ficheiros do seu computador para um computador remoto.

VPN (Virtual Private Network)
Quer dizer Rede Privada Virtual. Normalmente designa uma rede na qual existem pontos interligados que utilizam a Internet como base de comunicação. A comunicação entre estes pontos utiliza técnicas de encriptação de modo a que toda esta rede seja virtualmente privada. Por exemplo, uma empresa com dois escritórios em diferentes locais geográficos. Utilizando a Internet, os dois escritórios ligam as suas redes numa só, sem que os outros utilizadores da Internet possam ter acesso à sua Rede Privada.

WYSIWYG (What You See Is What You Get)
Abreviatura de ''What You See Is What You Get'' (Aquilo que você vê é aquilo que você terá). Quando se diz que um determinado programa é WYSIWYG, significa que aquilo que o utilizador está a ver no ecrá é aquilo que vai sair na impressora ou o resultado final do trabalho. Por exemplo: o Microsoft Word é WYSIWYG porque aquilo que se vê no ecrã é exactamente aquilo que sai na impressora. O Microsoft Frontapage é WYSIWYG porque aquilo que se vê na parte de editor de páginas web é o que se vai ver quando o programa produzir os ficheiros html finais.

World Wide Web (WWW)
World Wide Web, ou apenas Web, é o termo utilizado quando nos referimos à imensidão de páginas existentes em toda a Internet; Página web é o termo utilizado para nos referirmos a uma determinada página; E web site, também conhecido por "sítio" ou "sítio web" é o conjunto de páginas web num determinado endereço. Por exemplo: todas as páginas web do Truques e Dicas formam um web site porque estão todas alojadas no endereço do Truques e Dicas, que é o www.truquesedicas.com.

Image and video hosting by TinyPic

publicado por jorgepc às 14:28
sinto-me:
tags: , ,

O Guia do PC foi autorizado pelo próprio Tim Sneath, gerente de grupo da equipe do Microsoft Silverlight e WPF Technical Evangelism na Microsoft, a produzir uma tradução livre do texto (thank you!). As dicas e truques são de autoria dele, bem como os créditos (mas a tradução livre é nossa!). Dê uma olhada no artigo original em inglês (com uma linguagem meio complicada), se preferir.

1. Gerenciamento de janelas

Você provavelmente viu que o Windows 7 facilitou bastante o gerenciamento de janelas: agora é possível grudar a janela do lado esquerdo ou direito da tela simplesmente movendo-a para as bordas. Além disso, você pode mover a janela para o topo da tela para maximizá-la, e dar um duplo-clique na borda superior ou inferior da janela para maximizá-la verticalmente. Essas ações estão disponíveis em teclas de atalho também:

  • WinKey + Seta para esquerda e WinKey + Seta para direita = gruda
  • WinKey + Seta para cima e WinKey + Seta para baixo = maximiza e restaura/minimiza
  • WinKey + Shift + Seta para cima e WinKey + Shift + Seta para baixo = maximiza verticalmente

A função de grudar a janela em cada um dos lados é muito valiosa em monitores widescreen: faz com que o velho jeito do Windows de organizá-las manualmente pelos menus de contexto torne-se bastante “doloroso”.

2. Projetores de tela

Você está farto de ter que utilizar utilitários de terceiros para enviar a imagem do seu notebook em um projetor externo? Então é provável que você ficará muito feliz em saber que a projeção de imagem é algo rápido e muito simples no Windows 7. Basta pressionar as teclas WinKey + P, e você verá a seguinte janela pop-up:

Configuração: Exibir área de trabalho somente na tela do computador

Configuração: Exibir área de trabalho somente na tela do computador

Use as setas (ou continue pressionando WinKey + P) para alternar entre os modos de exibição “clonado” (imagem exibida no monitor e projetor ou monitor externo), “estendido” (utiliza o display da máquina juntamente com o externo) ou “apenas externo“. Você também pode acessar a aplicação pelo displayswitch.exe (busque no menu Iniciar).

Se você quer um controle maior sobre as configurações de apresentação, você ainda pode pressionar WinKey + X para abrir o Windows Mobility Center, que lhe permite configurar uma apresentação “modular”, onde seu programa IM não vai perturbar, screensavers são desativadas e um plano de fundo neutro é definido (Nota: essa ferramenta também está presente no Windows Vista).

3. Acabe com a desordem

Trabalhando com um documento em uma janela e quer se livrar de todas as outras ao fundo? Basta apertar WinKey + Home para minimizar todas as janelas não ativas ao fundo, preservando apenas a janela que você está usando atualmente na mesma posição. Para voltar como estava, pressione a combinação de teclas novamente para restaurar as janelas que estavam ao fundo para seus locais originais.

4. Gerenciamento de janelas em múltiplos monitores

A primeira dica, sobre o gerenciamento de janelas, mostrou como “grudar” janelas no monitor. Uma derivação desses atalhos pode ser usada quando se tem mais de um monitor. Use WinKey + Shift + Seta para esquerda e WinKey + Shift + Seta para direita para mover a janela de um monitor para outro – e mantê-las na mesma localização relativa (esquerda ou direita) do monitor de origem.

5. Atalhos de teclado ao invés de power toys

Uma das ferramentas mais populares do Windows XP era a “Open Command Prompt Here”, que permitia o usuário usar a shell gráfica para navegar no sistema de arquivos e, em seguida, usar o menu de contexto para abrir o prompt de comando no diretório atual. No Windows 7 (e no Windows Vista – embora muitos não saibam), você pode simplesmente segurar a tecla Shift enquanto clica com o botão direito do mouse (menu de contexto) para que a opção apareça. Se o diretório estiver na rede, ele irá automaticamente mapear uma letra de unidade para você.

6. Um Windows “globalizado”

Se você já tentou mudar o papel de parede, provavelmente notou que há um conjunto de wallpapers correspondendo a localidade que você selecionou quando instalou o Windows. De fato, existem vários pacotes de wallpapers instalados com base no idioma que você escolhe, mas há outros escondidos em um diretório. Caso queira conferir as paisagens, basta navegar até C:WindowsGlobalizationMCT e ver as séries de imagens em diretórios separados, correspondendo a regiões diferentes. Apenas dê um duplo-clique sobre o arquivo de tema no diretório do mesmo para exibir as imagens definidas de rotação para aquele país.

7. O gravador de problemas do Windows

Todo desenvolvedor deseja algum recurso que torne mais fácil a explicação de problemas de um software, por exemplo. Muitas vezes, é difícil detectar algum problema no software desenvolvido sem que haja um passo-a-passo de como o problema ocorre. O Windows 7 está aí para resolver esse problema! As ferramentas de diagnóstico que o Windows 7 utiliza para o envio de comentários sobre o produto – o famoso Send Feedback – fornecem uma ferramenta simples para gravação de telas que gera um passo-a-passo do que o usuário fez. Depois de parar a gravação, o gravador de problemas salva tudo num arquivo HTML compactado em ZIP, com uma espécie de slideshow dos passos. É uma ferramenta realmente bem legal. O programa pode ser chamado pelo psr.exe ou no Control Panel (Painel de controle) em Record steps to reproduce a problem (Gravar um passo-a-passo para reproduzir um problema).

Gravador de problemas

Gravador de problemas

8. Instalação de fontes

Nos livramos do diálogo Adicionar Fontes, que tem servido fielmente o Windows nos últimos vinte anos. Claro, nesse tempo todo ele ficou cada vez mais esquecido – a maneira mais fácil de instalar fontes era simplesmente a arrastando-as para a pasta Fontes via Painel de Controle. Mas agora a instalação de uma fonte é realmente fácil – foi acrescentado um botão “Instalar” no visualizador de fontes:

Você pode instalar fontes no Windows 7 pela janela de visualização de fonte

Você pode instalar fontes no Windows 7 pela janela de visualização de fonte

Também há muitos outros novos recursos incorporados no Windows 7, que irão satisfazer alguns usuários, como a capacidade de ocultar fontes baseadas em configurações regionais, o novo motor de renderização de texto DirectWrite e uma nova janela de diálogo que permite a seleção de quatro “pesos” para uma fonte.

Nova janela de diálogo de fontes permite mais de 4 "pesos" para uma fonte

Nova janela de diálogo de fontes permite mais de 4 "pesos" para uma fonte

9. Gabriola

O Windows 7 inclui a fonte Gabriola, elaborada pela Tiro Typeworks que leva vantagem do padrão OpenType para prover uma variedade de conjuntos decorativos de fonte:

Alguns exemplos de variações da fonte Gabriola

Alguns exemplos de variações da fonte Gabriola

10. O que está deixando meu navegador lento?

Se você acha que o Internet Explorer está levando um tempo excessivo para carregar uma página, vale a pena dar uma olhada nos add-ons que você instalou. Uma das ferramentas mais úteis introduzidas no Internet Explorer 8 foi um recurso que mostra o tempo de inicialização de cada add-on. Basta clicar em Tools > Manage Add-ons (Ferramentas > Gerenciar complementos) e ver o tempo de carregamento na coluna do lado direito da lista. O Office 2007, por exemplo, pode instalar um add-on que você nunca usa, mas está lá para consumir recursos do sistema. E é fácil desativá-lo: basta clicar com o botão direito e ir em Disable (Desativar).

11. Organizando a barra de tarefas

Talvez você não saiba que os ícones na nova barra de tarefas não são fixos no local. Você pode reorganizá-los para atender às suas necessidades. Assim, é possível iniciar os cinco primeiros ícones (da esquerda para direita) pressionando as teclas WinKey + 1, WinKey + 2, WinKey + 3, etc.

O que é menos conhecido ainda é a possibilidade de arrastar os ícones da bandeja do sistema, podendo, assim, organizar na sua ordem, ou movê-los para dentro e para fora da janela popup, onde ficam os ícones ocultos. É a maneira mais fácil de personalizar o seu sistema para mostrar as coisas que você quiser, onde quiser.

12. Instalando de um dispositivo USB

No último ano vimos o aparecimento de vários netbooks no mercado, a maioria deles com Linux e Windows XP. Nenhum com Vista, provavelmente devido ao “peso” do sistema, porém com os possíveis upgrades nos netbooks, várias pessoas passaram a instalar o novo sistema da Microsoft em seus netbooks, mas existia um problema: era necessário um drive de DVD, o que a maioria dos netbooks não possui, tornando necessária sua instalação. Com o Windows 7, isso vai ficar mais fácil. Basta formatar um dispositivo de armazenamento USB para FAT32 e copiar o conteúdo do disco de instalação do Windows 7 em seu interior, utilizando o comando “xcopy e: f: /e /f” (onde e: é drive de DVD onde se encontra o DVD de instalação, e f: o dispositivo USB). Uma vantagem também, é que a instalação através de um dispositivo USB é muito mais rápida do que a tradicional.

Além disso tudo, também é importante salientar que o Windows 7 é muito melhor para netbooks que o Windows Vista, já que tem consumo de memória inferior, e lida muito melhor com discos de estado sólido, ou SSD (Solid State Disk), já que, por exemplo, a desfragmentação é desativada por tornar-se desnecessária, e a forma com que o Windows deleta os arquivos é diferente, se adaptando melhor ao formato dos discos sólidos.

13. Quero a Quick Launch de volta!

Você, antigo e fiel a barra de inicialização rápida, deve ter notado que ela não só é desativada por padrão no Windows 7, como está realmente ausente da lista de barras de ferramentas. Pode parecer óbvio, mas o conceito de ter um conjunto de ícones de atalho fixos agora está integrado diretamente a nova barra de tarefas. Baseando-se nas primeiras interfaces gráficas testadas, pensamos que a grande maioria dos usuários vai ser muito feliz com o novo modelo. Mas caso queira a velha inicialização rápida de volta, saiba que os antigos atalhos estão todos lá ainda. Para reativá-la, faça o seguinte:

  • Botão direito do mouse na barra de tarefas, escolha Toolbars (Barra de ferramentas) / New Toolbar (Nova barra);
  • No diálogo de pasta para seleção, digite o seguinte texto (sem aspas) e pressione a OK: “%userprofile%AppDataRoamingMicrosoftInternet ExplorerQuick Launch“;
  • Desative a opção de bloquear a barra de tarefas, e clique com o botão direito sobre o separador. Certifique-se que “Show text” (Mostrar texto) e “Show title” (Mostrar título) estão desativados e o modo de exibição definido como “Small icons” (ícones pequenos);
  • Utilize os separadores para reorganizar a barra de ferramentas ordenando a sua escolha, e depois bloqueie a mesma novamente.

14. Jump lists

Muito se falou das jump lists, recurso do Windows 7 que permite que aplicativos como o Windows Live Messenger ofereçam uma lista de tarefas úteis. Essas jump lists podem ser acessadas clicando-se com o botão direito na barra de tarefas. Mas existe outra maneira de acessar esse recurso: clique com o botão esquerdo e arraste para cima. Isso foi especialmente feito para dispositivos touchscreen, como o computador tudo-em-um HP Touchsmart.

15. Suporte ao OpenDocument e OOXML

Todos os reviews do Windows 7 destacaram a interface remodelada do WordPad e do Paint, que agora utilizam a interface Office-like Ribbon para destacar suas funcionalidades. Poucos, no entanto, notaram um novo recurso bem interessante: o WordPad agora pode ler e gravar arquivos tanto em Office Open XML, compatível com o Word 2007, como o OpenDocument, apoiado pela Sun e pela IBM.

WordPad do Windows 7 permite salvamento em OOXML e OpenDocument

WordPad do Windows 7 permite salvamento em OOXML e OpenDocument

16. Barra de tarefas no estilo Windows Vista

Várias pessoas não foram exatamente fãs da superbar do Windows 7 quando ela foi introduzida nas primeiras builds. Como ela foi alterada levemente até o Windows 7 chegar ao beta público, muitos se “converteram” e agora preferem o novo visual, principalmente quem abre muitas janelas simultaneamente. No entanto, há mesmo quem prefira a barra de tarefas no estilo do Windows Vista, e a boa notícia é que é possível customizar facilmente a barra de modo que fique parecida com a versão antiga:

A barra de tarefas do Windows 7 pode ser configurada para que pareça com a do Windows Vista

A barra de tarefas do Windows 7 pode ser configurada para que pareça com a do Windows Vista

Para utilizar este visual, clique com o botão direito na barra de tarefas, e vá em Properties (Propriedades). Na janela que se abre, selecione a opção Use small icons (Usar ícones pequenos) e, em Taskbar buttons (Botões da barra de tarefas), selecione Combine when taskbar is full (Combinar quando a barra de tarefas estiver cheia).

17. Aero Peek

Ao ver a barra de tarefas, é possível notar algumas coisas, como o pequeno retângulo no canto inferior direito: esse é o recurso que chamamos de Aero Peek, que permite que você veja gadgets ou ícones em seu desktop (algo como o Mostrar área de trabalho). Existe um atalho de teclado que faz a mesma coisa: WinKey + Barra de espaço.

18. Rodar programas com mais direitos

Quer executar rapidamente um programa na barra de tarefas com permissões de administrador? É fácil – clique no ícone do programa enquanto pressiona Ctrl+Shift, e você imediatamente irá abrí-lo com direitos totais (assumindo que seu usuário tenha as permissões para fazer isso, é claro!).

19. Um pouco mais do mesmo, por favor

Se você já tem um aplicativo aberto na sua área de trabalho (prompt de comando, por exemplo), e pretende abrir uma segunda instância da mesma aplicação, você não precisará voltar para o menu Iniciar. Basta manter pressionada a tecla Shift enquanto clica no ícone do programa e você abrirá uma nova instância do aplicativo ao invés de mudar para ela. Para quem prefere o mouse, basta pressionar simultaneamente, no ícone, o botão do meio (scroll) com o terceiro botão do mouse (botão direito).

20. Um jeito diferente de alternar entre janelas

Outro recurso que muitos usuários avançados irão gostar é a habilidade de fazer uma espécie de “Alt+Tab” entre janelas que pertencem a um mesmo aplicativo. Por exemplo, se você tem dez janelas de conversação do Windows Live Messenger abertas, pode alternar entre essas janelas do Windows Live Messenger: basta manter pressionada a tecla Ctrl enquanto clica no ícone do Windows Live Messenger agrupado. É mais fácil fazer isso do que pressionar Alt+Tab e tentar adivinhar qual é a pequena miniatura que corresponde a janela de conversação do seu contato.

21. Andando pela barra de tarefas

Outro atalho “secreto” do Windows: pressione WinKey+T para mover o foco para a barra de tarefas. Quando o foco estiver nela, basta usar as setas do teclado para selecionar uma janela em particular ou um grupo de janelas e pressionar Enter para executar ou ativar. Você pode sair do modo pela tecla Esc. Eu não sei exatamente o motivo disso acontecer, mas presumo que o atalho foi introduzido por questões de acessibilidade. No entanto, ele é igualmente útil para usuários avançados – outro motivo para que os desenvolvedores tenham cuidados para garantir que seu código é acessível.

22. Uma dica widescreen

Superbar verticalPraticamente todos os monitores vendidos atualmente junto com desktops e notebooks são widescreen. Quando você tenta assistir DVDs nesse formato ou visualiza trabalhos em widescreen, muitas vezes pensará que está um pouco “prensado” verticalmente.

Como resultado, a primeira coisa que alguns fazem ao configurar um novo computador, é colocar a barra de tarefas para o lado esquerdo da tela. Até posso imaginar o motivo de não terem colocado isso por padrão – imagine só as queixas das empresas que precisarão reensinar seus funcionários – mas não há nenhuma razão para você sofrer com configurações predefinidas da época de quando a resolução média de tela era 800×600.

No passado, o Windows não fez um trabalho tão legal para pessoas que gostam da barra de tarefas dos lados. Claro, você podia mover a barra de tarefas para um dos lados, mas era algo meio estranho – os degradês ficavam errados, o menu Iniciar ficava “idiota”, e você se sentia como um cidadão de segunda classe. A barra de tarefas do Windows 7 parece até que foi projetada para ser usada verticalmente – os ícones funcionam bem, truques de atalhos mencionados anteriormente, como o WinKey+T também, que automaticamente muda de seta para esquerda e seta para direita para seta para cima e seta para baixo. O melhor disso tudo é que você terá um melhor espaço para aproveitar na sua tela.

Experimente! Em especial, se você tiver um netbook com resolução de tela de 1024×600, imediatamente apreciará o espaço extra para navegar na internet. No primeiro dia você ficará perdido, mas depois provavelmente irá se “converter” para um entusiasta dessa “técnica”.

23. Fixe suas pastas favoritas

Se você está sempre trabalhando nas mesmas quatro ou cinco pastas, você pode fixá-las facilmente na jump list do Windows Explorer na barra de tarefas. Clique e arraste a pasta para o ícone do Windows Explorer na superbar e ela será automaticamente fixada na jump list do Explorer.

24. Faça com que o Windows Explorer abra o “Meu computador”

Se você gasta mais tempo mexendo em arquivos fora das pastas de documentos do Windows do que dentro delas, talvez você queira mudar o diretório inicial do Windows Explorer para o Computador.

"Meu computador" no Windows Explorer

"Meu computador" no Windows Explorer

Para fazer isso, abra o menu iniciar e procure pela entrada do Windows Explorer (está na pasta de Acessórios). Edite as propriedades e mude o caminho (Target) para: %SystemRoot%explorer.exe /root,::{20D04FE0-3AEA-1069-A2D8-08002B30309D}

Se você quiser que as alterações entrem em efeito no ícone da barra de tarefas, você precisa desfixar e depois refixar (unpin e repin) o ícone. É importante lembrar que o atalho WinKey+E continuará abrindo o Windows Explorer na pasta de documentos; ainda não há um jeito de alterar isso.

25. Tunando o ClearType e o calibramento de cores na tela

Se você quiser ajustar o seu monitor na exibição de imagem ou texto, nós temos ferramentas integradas para tal. É incrível como essas ferramentas fazem a diferença: muitas vezes, escurecendo um pouco mais a fonte e ajustando a gama corretamente, o monitor parece muito melhor do que antes. Você pode fazer isso na sua televisão de alta definição de 42 polegadas que acabou de comprar. Mas, por que não fazer no computador que você usa todos os dias?

ClearType

Calibramento de cores

Acesse essas ferramentas por buscando no Iniciar por cttune.exe e dccw.exe, respectivamente, ou diretamente do Painel de Controle.

26. Gravação de imagens ISO

Você pode dar um duplo-clique sobre uma imagem ISO de CD ou DVD e verá um útil applet aparecer na sua tela. Ele permitirá que você queime a imagem numa mídia vazia. Chega de utilitários shareware e outros softwares de confiança duvidosa!

Utilitário built-in do Windows 7 para gravação de imagens ISO

27. Windows Movie Maker

O Windows 7 não inclui um software para edição de vídeos – ele foi movido para o pacote Windows Live Essentials, que contém o Mail, o Photo Gallery e o Messenger. Infelizmente, o Windows Live Movie Maker, por estar em estágio beta, ainda está com poucas funções (o pessoal da Microsoft está trabalhando nisso). A melhor solução da Microsoft que existe atualmente é o Windows Movie Maker 2.6, que é, basicamente, o mesmo utilizado no Windows XP. Faltam transições e efeitos do Windows Vista, além de não suportar edição de vídeo em alta definição. Mas é bastante funcional para vídeos domésticos.

Windows Movie Maker 2.6 é compatível com o Windows 7

Windows Movie Maker 2.6 é compatível com o Windows 7

Faça o download do Windows Movie Maker 2.6 por aqui.

28. Oculte o ícone do Windows Live Messenger

Provavelmente sua primeira ação ao terminar de instalar o Windows 7 foi instalar o pacote de aplicativos Windows Live Essentials. Se não foi, você não está aproveitando totalmente a experiência de usuário do Windows. Se você é um usuário avançado do Windows Live Messenger, provavelmente amou a jump list que permite a alteração de status e o envio de mensagem a alguém, tudo isso facilmente:

Windows Live Messenger aparece por padrão na barra de tarefas

Windows Live Messenger aparece por padrão na barra de tarefas

Por outro lado, você pode preferir manter o Windows Live Messenger na bandeja do sistema, como em outras versões anteriores. Para fazer isso, feche o Windows Live Messenger e edite as propriedades do atalho, configurando o aplicativo para ser executado em modo de compatibilidade com o Windows Vista. Bingo!

29. Desfrute do peixe

Estou surpreso como poucas pessoas perceberam a piada sutil com o peixe siamês que faz parte do papel de parede padrão, assim sendo, vou fazer minha parte e manter o segredo escondido. Procure por pistas na Wikipédia.

30. Quando tudo isso falhar…

Sempre existem aquelas situações não muito boas – o sistema não iniciou corretamente, então você quer algo onde possa rapidamente ter acesso ao prompt de comando para solucionar o problema de forma correta. O Windows 7 agora inclui uma ferramenta que lhe permite criar um disco para reparação do sistema, que é um CD bootável que inclui o prompt de comando e uma suíte de ferramentas do sistema. Apenas digite “system repair disc” na barra de busca do menu Iniciar e você irá até o utilitário.

publicado por jorgepc às 01:58
sinto-me:

Image and video hosting by TinyPic

A maior parte dos leitores que nos escrevem pede dicas de como se tornar um verdadeiro "fera" da informática. "Gostaria que você indicasse alguns livros para eu aprender em casa as maravilhas da informática", pede o leitor José Domingos Oliveira da Silva. "O que faço para ser um 'crânio' da informática?", pergunta o jovem Leandro.

Lendo, lendo e lendo. Esta é a única forma de aprender. E praticando, é claro. Os livros estão aí justamente para aqueles que querem aprender. O problema é: quais livros ter? Quais livros ler? Não adianta simplesmente comprar livros se eles ficarão empoeirando em alguma prateleira!

Você ainda não domina o micro? O primeiro passo é saber lidar com o sistema operacional de seu micro. Se o seu micro possui MS-DOS instalado, recomendo "MS-DOS 6.22 Curso Básico & Rápido", de Marco Antônio Gutierrez (Ed. Axcel Books). Se você possui MS-DOS, muito provavelmente você também possui o Windows 3.x. Neste caso, a pedida é "Windows 3.1 Curso Básico & Rápido", de Gervazoni. No caso do Windows 95, há inúmeros livros muito bons sobre este sistema operacional. Há dois que eu particularmente gosto muito: "Windows 95 QuickRef", de Fábio Freitas, é um guia visual do Windows 95, para aqueles que já sabem um pouquinho mas querem saber onde encontrar todas as funções do sistema operacional. Já "Windows 95 Curso Básico & Rápido", de Cláudia e Paulo Moreira é para aqueles que ainda estão engatinhando no Windows 95.

O próximo passo é entender como o micro funciona. Neste aspecto, o primeiro livro que recomendo a todos é Como funciona o computador", de Ron White (Ed. Quark, ISBN 1-56276-094-7). Totalmente ilustrado, este livro mostra como funciona o computador por dentro, como, por exemplo, odisco rígido, o processador e o cache de memória. É o primeiro passo para todos aqueles que querem entender como o micro funciona.

Se você já sabe mexer no sistema operacional e entende como o micro funciona, parabéns! Você é um usuário do nível intermediário! Então, o que você precisa para se tornar um usuário de nível avançado? Entender mais sobre multimídia e conectividade são duas opções. Em "Criação de Música e Sons no Computador", de Miguel Ratton (Ed. Campus, ISBN 85-7001-922-X), você aprenderá sobre sons, arquivos MIDI, arquivos WAV, seqüenciadores e toda essa parafernália. Em "Guia do BBS", de Sérgio Gallo (Ed. Campus, ISBN 85-7001-965-3) você aprenderá sobre BBS, sistema de comunicação eletrônica de troca de mensagens e arquivos.

Já no âmbito da Internet, não faltam livros. A começar pelo "Como funciona a Internet", de Joshua Eddings (Ed. Quark, ISBN 1-56276-192-7). Apesar da tradução falhar em alguns pontos, o livro vale a pena por causa das figuras. Depois que você já souber como funciona a Internet, o próximo passo é se conectar! "Internet Curso Básico & Rápido", de Carlos Cardoso (Ed. Axcel), "Nestacape Navigator para Principiantes" e "Internet Explorer para Principiantes", ambos de André Valle e Cláudia Guimarães (Ed. Axcel), são boas pedidas.

Ah, então agora você está quase se sentindo um fera, não é mesmo? Porém falta conhecer mais a fundo todos os meandros da informática, ou seja, falta base para você virar um usuário avançado ou quiçá um profissional da área. Ok. Você pode começar com "Windows 3.1 Helpdesk", de Carl Townsend (Ed. Ciência Moderna) e aprender como realmente funciona o Windows 3.x. Em "Windows 95 não autorizado", de Andrew Schulman (Ed. LCTE), você aprenderá como realmente funciona o Windows 95 e verá que, tecnicamente, ele não é lá estas maravilhas. Em "Desvendando o Windows 95", de Adrian King (Ed. Campus, ISBN 85-7001-943-2), você aprenderá mais ainda sobre o funcionamento interno do Windows 95.

Se você quiser entender de redes locais, "Implantando e Trabalhando em redes com Windows for Workgroups 3.11", de Martin Matthews e Bruce Dobson (Ed. Makron Books, ISBN 85-346-0304-9) é um bom começo, além do consagrado "Guia da Conectividade", de Frank Derfler, Jr. (Ed. Campus, ISBN 85-7001-771-5).

Você já deve ter ouvido a máxima "Entendendo o passado, estaremos compreendendo o presente e prevendo o futuro". Por isto, não deixe de ler "Microsoft", de Daniel Ichbiah e Susan Knepper (Ed. Campus, ISBN 85-7001-727-8), que conta a história da Microsoft e de Bill Gates.

Para fechar, os livros de nível avançado. Aqui recomendo "PC: Um guia prático de hardware e interfaceamento", de Ricardo Zelenovsky e Alexandre Mendonça (Ed. Interciência, ISBN 85-7193-001-5), "Interfacing to the IBM personal computer", de Lewis Eggebrecht (Ed. SAMS, ISBN 0-672-22722-3) e "Hardware Bible premier edition", de Winn L. Rosch (Ed. SAMS, ISBN 0-672-30954-8). Estes dois últimos são importados e inglês (você poderá adquiri-los em livrarias virtuais da Internet, como a Amazon.com).

É claro que não poderia deixar de citar os meus livros (indispensáveis, é claro!): Em "Hardware Curso Completo" (ISBN 85-7323-032-0), um tijolo de 712 páginas, você aprenderá sobre hardware e o funcionamento dos sistemas operacionais. "Hardware Curso Básico & Rápido" (ISBN 85-7323-033-9) é para o mais apressadinhos e "Montagem de Micros Curso Básico & Rápido" (ISBN 85-7323-037-1), para aqueles que querem aprender a como montar seu próprio micro. "Fax/Modem Truques Espertos" (ISBN 85-7323-044-4) e "Kit Multimídia Truques Espertos" (ISBN 85-7323-057-6) ensinam a instalação, configuração e utilização destes periféricos. "Manutenção e Configuração de Micros" (ISBN 85-7323-061-4) é o livro de cabeceira de todos os candidatos a técnico em manutenção e nenhum micreiro pode deixar de ter. Todos são publicados pela Axcel Books.

Para você que não sabe, o código ISBN é um código internacional de catalogação de livros. É através desse código que geralmente as livrarias fazem pedidos sob encomenda, caso você não encontre o livro disponível para a venda imediata.

Dica: Veja mais recomendações de livros em nossa área de recomendações.

Na Internet

Na Internet, além dos sites dos fabricantes, há alguns sites que recomendo para os candidatos a fera:

http://www.hackers.com.br
Anti Hacker's Homepage. Em português, ensina bastante sobre hackers, vírus e outros "grilos" que atormentam os usuários. Excelente para você tirar suas dúvidas mais comuns.

http://www.clubedohardware.com.br.
Clube do Hardware. Você encontrará artigos, dicas e as colunas "Microteste" já publicados aqui no Dia Informática, além de material inédito.

http://www.tomshardware.com.
Tom's Hardware & Performance Guide. Um dos sites mais importantes para os micreiros, pois apresenta novas tecnologias antes do lançamento. Em inglês.

http://www.enemy.org.
Este é o site dos odiadores da Microsoft. Aprenda como as coisas não funcionam! Em inglês.

http://www.winfiles.com.
Este site traz inúmeras informações sobre o Windows 95. Em inglês.

http://www.x86.org.
Intel Secrets - Segredos que a Intel não quer que você saiba! Em inglês.

http://www.chipanalyst.com/mpr.
Microprocessor Report - Leia artigos sobre os futuros
processadores. Em inglês.

Dica: Veja mais sites interessantes em nossa área de links.

Image and video hosting by TinyPic

publicado por jorgepc às 01:38
sinto-me:

Editar fotos e imagens não é uma tarefa só para editores como o The GIMP e o Adobe Photoshop. Outros editores como o Paint.NET tem muita qualidade e ainda são gratuitos! Vamos desmitificar esta história de que só programas pagos são bons neste guia de uso do Paint.NET. Aqui você vai aprender a utilizar as ferramentas principais deste editor de imagens fantástico!

Selecionando e recortando imagens

Iniciaremos com o passo mais básico do programa: selecionar e recortar as imagens e fotografias. Escolha uma foto qualquer para fazer o teste, abra-a normalmente como em qualquer outro programa. Em seguida, clique no ícone que se assemelha a um laço. Use a tecla “S” no teclado se quiser um atalho para esta ferramenta. Clique em algum ponto da imagem para começar a seleção. Para os usuários que já conhecem o Photoshop, este laço é parecido com o do editor da Adobe. Depois de completar a seleção com esta ferramenta, recorte-a e faça o que desejar com a imagem já recortada. Neste caso, mudaremos de fundo para ilustrar.

Para alterar o fundo, escolha outra imagem qualquer e cole a seleção anterior no arquivo recém-aberto. Depois de colar a imagem, você pode girá-la. Clique na ferramenta de movimentação, depois posicione o mouse em cima da imagem e clique com o botão esquerdo para arrastá-la pela tela; para girar clique com o botão direito e gire para onde quiser. Quando tiver terminado, tecle “Enter” para finalizar e unir as imagens.


Outra forma de selecionar partes da imagem é utilizar a ferramenta Varinha Mágica. Ela funciona da seguinte maneira: agrupa os pixels próximos. É usado com freqüência maior nas imagens que têm fundos de cor homogênea ou regiões de cores bem definidas.

Pintando no Paint.NET

Note que a imagem ficou com alguns recortes em branco. Isso pode ser facilmente corrigido com duas ferramentas: Selecionador de cores e Pincel. Primeiro, clique no ícone do “Selecionador de cores” e clique no fundo preto para pegar a cor exata e não haver diferença na hora de pintar as partes brancas. Depois de ter selecionado a cor de fundo, clique na ferramenta “Pincel”; note que há opções desta ferramenta na parte superior da tela. Ali você pode aumentar ou diminuir a largura do pincel; para fazê-lo clique nos sinais de soma e subtração para ajustar o tamanho de acordo com as suas necessidades.

No caso da imagem de fundo utilizada no exemplo, há cores fortes e que seguem um desenho. Para dar mais realidade à montagem e pintar corretamente as partes brancas, utilize a ferramenta “Selo de clonagem”. Esta ferramenta copia um padrão e o repete nas regiões que você quiser. Para determinar a região que será copiada, pressione CTRL e clique na região a ser copiada. Ela ficará marcada com um círculo. O outro círculo é o pincel que irá colorir a área desejada. Outra forma de pintar é usar as ferramentas de seleção e em seguida aplicar uma segunda ferramenta chamada “Recolorir”.

Criando camadas

 

Para editar uma imagem sem interferir em outra quando elas estão num mesmo arquivo, criam-se camadas com as imagens. Criar camadas é bastante simples, na janela “Camadas” clique no primeiro ícone. Pronto! Sua nova camada está criada. Este recurso é útil não só para editar imagens sem interferências, mas também para aplicar efeitos e filtros.

 

 

 

 

Aplicando efeitos

Para aplicar efeitos e filtros, selecione a região ou camada em que deseja aplicá-lo e clique em “Efeitos” e escolha um dos vários efeitos da biblioteca do Paint.NET. Um dos mais úteis para a edição de fotografias é o “Desfocar”. Isto porque muitas vezes as bordas das fotografias recortadas ficam serrilhadas e desfocá-las. Contudo, é preciso ter cuidado para não exagerar no efeito e torná-la artificial como no caso ao lado.

No lado oposto ao “Desfocar” está o “Aumentar Nitidez”, encontrado na opção “Foto” dos “Efeitos”. Este efeito é usado para deixar alguma região ou camada mais definida, com os pixels mais evidentes. Outros efeitos que pode ser muito útil nestes casos são os que estão abrigados na opção “Ruído”. Eles podem melhorar a qualidade de fotos tiradas em baixa resolução – mas não espere milagres. É um efeito que ajuda, mas não vai transformar uma foto de qualidade ruim em uma imagem profissional.

Alterando contrastes e tonalidades

Muitas fotos só precisam de pequenos ajustes no contraste ou no brilho para ficarem boas. Para encontrar estas ferramentas no Paint.NET clique em “Ajustes”. Uma lista com várias ferramentas aparecerá, entre elas estão os controles de cor, níveis de cores, matizes e a transformação de cores para os padrões “Preto e Branco” e “Sépia”. Observe a foto do exemplo. Ela está muito escura e opaca. Para corrigir estes problemas usaremos duas ferramentas para ajustes: “Brilho / Contraste” e “Curvas”.

Estas duas ferramentas têm funções parecidas, o controle das curvas de luminosidade pode clarear fotos muito escuras e escurecer fotos muito claras – basta arrastar o ponto pelo gráfico até a foto ficar da melhor maneira. Depois de aplicarmos a mudança com a ferramenta “Curvas”, a foto fica como a figura 1. Agora clique novamente em “Ajustes” e selecione a opção “Brilho/Contraste” e arraste os ponteiros para obter o resultado desejado. No caso da foto do exemplo, ela fica como a figura 2.

Para alterar o tom, clique em “Ajustes” e em seguida em “Matiz/ saturação” e altere a cor de acordo com a necessidade da foto e o objetivo da edição. Já a transformação da imagem em preto e branco ou sépia é mais rápida porque já existem duas ferramentas para realizar esta transformação. O efeito depois de aplicado fica como as imagens abaixo.

Inserindo texto

Também é possível escrever no Paint.NET. Para fazê-lo, clique na ferramenta texto na barra de ferramentas do programa. Contudo, uma vez que ele já esteja digitado e você já apertou “Enter” não é mais possível editar aquele texto – ele passa a ser uma camada de imagem. Você pode alterar o tipo, tamanho, cor e estilo da fonte do seu texto. Três destas alterações são encontradas logo acima da barra de ferramentas, são elas: tipo de fonte, tamanho e estilo. A escolha da cor da fonte deve ser feita na janela de cores no canto inferior esquerdo da tela.

Inversões, redimensionamento e rotação

Em alguns casos pode ser necessário inverter, redimensionar ou rotacionar as imagens. Por exemplo, para criar um efeito espelhado de uma imagem é necessário duplicá-la e inverter.As três ferramentas para fazer estas alterações podem ser encontradas no menu “Imagem”. Nesta opção você encontra ferramentas como “Redimensionar”, “Inverter horizontalmente”, “Inverter verticalmente” e outras utilidades para a edição de imagem. Para aplicar estas ferramentas em camadas específicas, clique no menu “Camada” logo ao lado de “Imagem” e escolha qual delas é mais apropriada para a sua imagem.

Para criar o efeito espelhado, pode ser feito da seguinte maneira. Escolha uma imagem qualquer com fundo branco e faça uma cópia da camada. Nesta camada recém-criada, apague o fundo branco ao redor. Depois clique em “Camada” e em seguida em “Inverter verticalmente”. Salve a sua imagem; vamos prosseguir a explicação deste efeito no próximo tópico deste guia de uso.


Propriedade das camadas

As camadas são uma boa forma de editar partes da imagem separadamente. O Paint.NET possui um jeito diferente de trabalhar com estas camadas. Para editá-las, usa-se os botões da parte inferior da janela de camadas do editor de imagens. Se pudermos escolher os três principais dentre eles, seriam os botões “Criar nova camada”, “Propriedades da Camada” e os dois botões para movimentação de camadas para cima ou para baixo.


Em “Propriedades da Camada” é possível alterar o modo da camada, a opacidade, nome e a visibilidade dela. O controle da opacidade é importante para prosseguirmos com o efeito espelhado da imagem. Continuando com este efeito, clique na camada duplicada e invertida para selecioná-la, em seguida clique no último dos botões da barra de botões da janela de camadas, “Propriedades da Camada” e reduza a opacidade desta camada. Pronto! Seu efeito espelhado já está concluído!

Agora que você já conhece as ferramentas e efeitos principais do Paint.NET, comece a editar e tratar suas imagens neste editor de imagens completamente gratuito que não deixa nada a desejar em relação aos outros editores. Quando já tiver terminado de trabalhar nas suas imagens, lembre-se de salvá-las sempre em um formato que seja visualizado por qualquer navegador, no caso de produção de imagens para sites e blogs.

Escolham suas imagens e mãos à obra! Até a próxima!

publicado por jorgepc às 01:24
sinto-me:

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

19
20

27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO