PESSOAL NESTE BLOG EU TRATO DE TUDO UM POUCO SOBRE INFORMÁTICA. ESTE BLOG SERVE EM PARTE PARA MIM COMO UM BLOCO DE NOTAS. PUBLICO AQUI MUITO ASSUNTO DE QUE ME PEDEM. ESPERO K APRECIEM ,

25
Mar 10

O sonho de muitos consumidores já é realidade. Do celular, do telefone e do próprio computador, você já pode telefonar para amigos sem pagar nada por isso. Saiba como!

Quando o assunto é telefonia, a sabedoria popular sempre foi bastante criativa. Quem nunca ouviu pelo menos um método de fazer ligações sem pagar nada? Segurar o último dígito, apertá-lo três vezes após terminar de digitar o número e grafite no cartão telefônico são apenas algumas das dezenas de lendas urbanas sobre telefonemas gratuitos.

Com a popularização da internet, novas tentativas e maneiras de realizar chamadas gratuitamente surgiram. Sabendo dessa compulsão por falar sem pagar, muitas pessoas mal-intencionadas a utilizaram como pretexto para disseminar vírus e outras pragas virtuais. E novamente o sonho da ligação grátis morreu.

Porém, por mais que muita gente ainda desconfie, existem sim modos de fazer telefonemas sem gastar um centavo para isso, e através do próprio celular. Ficou curioso? Saiba então como com este artigo do Portal Baixaki!

O mundo em seu celular

Saem os créditos, entra o 3G

Aplicativos para iPhoneAlém de fazer com que você esteja sempre conectado, a rede 3G abriu as portas para o surgimento de aplicativos que possibilitam ligações entre aparelhos celulares sem que você tenha de se preocupar com seus créditos ou com a conta no final do mês.

Um grande exemplo disso é o Fring. Ele é um programa que pode ser utilizado em plataformas como iPhone, Windows Mobile, Android e Symbian e permite que você converse com todos seus contatos do MSN, Gtalk e Skype através do smartphone, seja por 3G ou por Wi-Fi.

O grande destaque deste programa é não exigir que a outra pessoa o utilize para a chamada ser realizada. No caso do MSN, por exemplo, basta você fazer o telefonema para que seu amigo receba o convite para uma conferência de áudio sem que você não gaste nada para isso.

Skype

Skype para iPhoneOutra alternativa para falar de graça é através de um aplicativo já bastante popular. A versão do Skype para iPhone por enquanto utiliza apenas redes Wi-Fi para fazer chamadas gratuitas, mas a empresa já divulgou que uma atualização para usar 3G está para ser lançada.

O funcionamento é exatamente o mesmo do software para computadores. Com ele, você liga para qualquer amigo que também possua uma conta no programa, esteja ele em um smartphone ou PC. Mas vale lembrar que a gratuidade é apenas entre contas Skype e, caso você tente ligar para um número fixo ou outro celular, vai pagar por isso.

Não tenho um celular compatível com esses programas. E agora?

Caso você possua um aparelho que não é capaz de executar esses programas, não se desespere, já que existem outros métodos para realizar ligações telefônicas sem se preocupar com tarifas.

NonohO site Nonoh, por exemplo, faz algo bastante interessante para que você não gaste com telefonemas. Ele serve como mediador entre o telefone de origem e o de destino e tudo o que você precisa fazer é inserir os dois números.

Ao clicar no botão “Call” (Chamar), os dois aparelhos tocam e você pode conversar à vontade e completamente de graça até mesmo em ligações internacionais. O único detalhe é que ele só funciona com números fixos de alguns países, o que inclui o Brasil. Para conferir as localidades gratuitas e tarifas para outras regiões, visite a página do serviço.

Outra sugestão para quem precisa realizar chamadas para fora do país e quer economizar é o programa VoIPCheap. Apesar de não funcionar em celulares, ele permite que você ligue para o exterior através de seu computador sem precisar desembolsar nada, além de também fazer chamadas entre PCs.

O VoIP é uma versão para a internet das ligações tradicionais, mas ao invés de utilizar linhas telefônicas, ele transmite a voz através do protocolo de internet (IP). É isso que possibilita conversar com qualquer pessoa no mundo de graça.

VoIPCheap

O único problema desse programa é que os telefonemas gratuitos só podem ser realizados para telefones fixos (com algumas exceções) de determinados países, como Argentina, Portugal e Reino Unido. O Brasil, infelizmente, ficou de fora. Mas com isso você tem um ótimo pretexto para treinar seu inglês.

Ligações patrocinadas

Ok, você viu todas as possibilidades até agora, mas você não possui um iPhone e o que você quer é ligar do seu celular para outro sem gastar ou baixar nada. Conheça então a novidade que faz exatamente isso.

O Freakom é um serviço para telefones móveis que possui um sistema bastante simples e interessante: você digita asterisco, zero, o código da operadora e o número desejado e faz ligações de até um minuto sem pagar nada por isso.

Freakom

É claro que esse telefonema tem de ser pago por alguém, e é aí que entra a “chamada patrocinada”. Esse tempo gratuito que você tem para conversar é pago por algum anunciante e, por conta disso, antes de falar, você ouve uma pequena propaganda de até 24 segundos. Em seguida, tem um minuto para falar sem custo algum. Caso o tempo expire, basta repetir o processo.

Mas antes que você se empolgue e saia fazendo ligações por aí, saiba que o Freakom só está disponível, por enquanto, com a operadora Sercomtel, de Londrina (PR). Porém já foi anunciado que em breve outras localidades e operadoras vão desfrutar das facilidades do serviço.

Agora que você já sabe como fazer chamadas completamente de graça, que tal ligar para aquela pessoa com quem você não conversa há muito tempo? Aproveite e conte nos comentários se este artigo lhe foi útil!

publicado por jorgepc às 16:42
sinto-me:

Provavelmente você já deve ter ouvido respostas diferentes para essa pergunta. Uma das mais comuns é aquela em que associam o nome CPU ao conjunto de peças que fazem o computador funcionar, aquele “caixote” onde se tem o disco rígido, placa-mãe e assim por diante. Pois bem, este “caixote” não é a CPU e sim o gabinete do computador. Mas há quem insista em utilizar essa nomenclatura errônea.

A CPU — Central Processing Unit ou Unidade Central de Processamento (UCP) em português — é um circuito integrado que controla todas as operações e o funcionamento do computador, responsável pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções que resultam em todas as tarefas que um computador pode fazer. Ela age interpretando e executando as instruções fornecidas por softwares — programas, jogos etc. — e retornando resultados. Para efetuar um cálculo matemático, por exemplo, nós seres humanos utilizamos o cérebro. Já o computador, usa a CPU. Daí vem o termo “cérebro do computador”. Algumas pessoas podem estar se perguntando — Mas o “cérebro do computador” não é o processador?

Parte  inferior de dois microprocessadores.CPU, processador ou microprocessador?

Atualmente, todos os componentes que compunham a CPU estão integrados em um único chip denominado microprocessador. Este é empregado nos computadores atuais, como nesse que você está utilizando neste exato momento. Intel e AMD são empresas desenvolvedoras de microprocessadores. Um processador, por sua vez, já uma denominação um pouco mais abstrata. Todo microprocessador é um processador, mas nem todo processador é um microprocessador. Um microcontrolador, por exemplo, também é um processador.

Apesar dessa diferença, na prática os três nomes podem ser usados para se referir ao mesmo elemento — a não ser que você trabalhe ou pesquise sobre arquitetura de computadores, circuitos digitais etc.

Clock

Entre outros fatores, o que determina a "velocidade" de uma CPU é quantidade de instruções que ela é capaz de executar por segundo. A essa "velocidade" se dá o nome de clock e utiliza-se a medida Hertz (Hz) para calculá-la, sendo um 1Hz equivalente a 1 instrução por segundo. Uma CPU com clock de 500 Mhz, por exemplo, é capaz de executar 500 milhões de instruções por segundo. Já um mais atual, com 2,4 GHz, é capaz de realizar 2 bilhões e 400 milhões de instruções por segundo. Mas de onde vêm os símbolos MHz e GHz? Veja a tabela abaixo.

Tabela de  unidades.

Mas o clock não é tudo em uma CPU. O desempenho dela depende também do conjunto de instruções capaz de processar, quantidade de memória cachê, entre outros. Mas isso já é assunto para um próximo artigo!

 

publicado por jorgepc às 16:27
sinto-me:

Falta menos de duas semanas para o Dia das Bruxas e é bom preparar o seu e os outros espíritos para a festa! Comece colocando fantasmas nas suas fotos com o GIMP!

Algumas teias de aranha, um quarto abandonado, cortinas antigas balançando ao vento, alguns vidros quebrados... Um ótimo lugar para criar um fantasma, não é? O Halloween vem chegando e com ele as fantasias e histórias de terror ficam cada vez mais próximas do imaginário de quem já arruma suas sacolas para arrecadar doces no dia 31 de outubro. Com tantos filmes e lendas a respeito desta data, é impossível não contar um pouquinho deste dia que é considerado como “O Dia de Todos os Santos”.

A história do Halloween tem muito a ver com as tradições célticas dos povos que colonizaram os territórios onde hoje encontramos a Irlanda e o Reino Unido. Os povos célticos que viviam por essas regiões tinham como costume, celebrar o final da colheita e com ele o dia em que os espíritos dos mortos teriam uma chance de comunicar-se com os vivos. Esta data, após a chegada das tropas romanas (e cristãs) ganhou um novo significado e um nome. De Samhain (em gaélico, um dos idiomas dos povos célticos), o 31 de outubro passou a ser chamado de All Saints’ Eve (Dia de Todos os Santos) ou All Hallows’ Eve (Dia de Todos os Espíritos).

O  dia de todos os santos perdeu seu significado místico e passou a ser uma  festa comercial!

Apesar de ter perdido o seu significado religioso e sagrado para a maioria da população graças à enorme difusão e comercialização da data, os Halloweens conseguem extrair bastante diversão dos que participam dele. Mesmo que esta não seja a principal data festiva no Brasil, muitos brasileiros aproveitam para tirar a fantasia de vampiro, fantasma ou múmia do armário e fazer a festa. Entretanto, a diversão não precisa ficar só fora da sua vida digital não é? O que você acha de colocar fantasmas nas suas fotografias e pregar algumas peças nos seus amigos?

Tudo o que você precisa fazer é escolher duas imagens e ter o seu GIMP aberto. Preparado para fazer com que os fantasmas apareçam? Então escolha logo as imagens e abra-as no seu GIMP – o tutorial já vai começar!

O seu primeiro passo deve ser recortar a imagem da pessoa que você deseja transformar em fantasma. Para este exemplo, usaremos a fotografia de uma garotinha de vestido branco em uma sala abandonada. Graças aos filmes de terror, meninas loiras usando vestido branco já ganharam uma conotação de bastante assombro nas telas grandes e pequenas. Agora que você já tem a foto, use a Ferramenta de Seleção Livre para contornar a garota e retirá-la do fundo original.

Selecione a imagem

Logo em seguida, copie e cole esta seleção na imagem de fundo que você já havia escolhido anteriormente. Note que logo que você cola esta nova camada na imagem de fundo não é possível fazer qualquer alteração. Para poder modificar esta nova camada, clique com o botão direito sobre a linha correspondente a esta na janela “Camadas” do seu GIMP e selecione a opção “Nova Camada”. Agora a camada está pronta para ser modificada.

Cole  a imagem para modificá-la!

Assim que você conseguir modificar esta camada, é hora de redimensioná-la para que os elementos fiquem proporcionais. Use a Ferramenta de Redimensionar para alterar o tamanho da imagem recém-colada no fundo escolhido. Depois de redimensionar, é hora de duplicar as camadas. Para isso, clique no terceiro ícone da direita para a esquerda no rodapé da janela “Camadas” do GIMP.

 

Redimensione a imagem para deixá-la proporcional!

 

Uma vez que a camada já esteja duplicada, é hora de reduzir a opacidade de ambas. Recomenda-se a taxa de 35,5% de opacidade, assim ficará mais fácil identificar a transparência do objeto em cena. Feito isso, selecione a camada inferior e clique com o botão direito para utilizar o recurso “Alfa para seleção”. Isso fará com que o contorno da garotinha seja selecionado novamente. Em seguida, crie uma nova camada. Note que esta nova camada terá um campo de seleção com o contorno da garotinha; selecione a Ferramenta de Preenchimento e use a cor branca para preencher esta área selecionada.

Use a  ferramenta de preenchimento para criar um borrão!

Depois de ter preenchido esta nova camada, clique sobre ela e arraste-a para baixo da segunda camada da garotinha. Chegamos à etapa de aplicação de efeitos. Continue com a camada do preenchimento selecionada. Clique em “Filtros”e desça até “Desfocar”. Selecione a opção “Borrão de movimento” e ajuste as opções de acordo com a sua imagem. Em seguida, repita a operação até a opção “Desfocar” e desta vez selecione “Desfocagem Gaussiana”, para suavizar as bordas.

Aplique as desfocagens necessárias!

Com a Ferramenta de Movimento, posicione a camada recém-alterada por efeitos de desfocagem para uma área um pouco mais ao lado da imagem original. Isso fará com que a impressão de movimento seja melhor percebida. Agora, selecione a camada que está no topo – a imagem da garotinha. Altere o modo desta camada na janela “Camadas”; utilize o modo “Luz Dura”. Depois, selecione a camada inferior, ainda com a imagem da garotinha. O modo de camada para esta é o “Super-exposição”.

Altere os modos de camada!

Agora, basta salvar a imagem e enviar para os seus amigos perguntando se eles desconfiam de algo nessa imagem. Deixar a imagem em bastante evidência ou bem oculta fica a seu critério. Neste tutorial deixamos nosso fantasma aparente para que você pudesse enxergá-lo. Porém, se você quiser disfarçá-lo ao máximo, basta reduzir a opacidade da imagem para esconder o seu fantasma!

O  resultado deve ser parecido com este!

E você? Está preparado para o dia das bruxas? Adicione vários fantasmas e proponha enigmas aos seus amigos espalhando as suas fotos pela internet! Enviaram uma foto dessas para você? Será que este é realmente um fantasma? Aprimore suas técnicas em criação de fantasmas no Baixaki! Conte a sua opinião para a gente no seu comentário!

publicado por jorgepc às 01:26
sinto-me:

Que tal trocar de usuário, ao invés de desligar seu computador, após pressionar o botão Power?

Talvez você não saiba, mas a partir do Windows XP o botão Power ganhou uma função: desligar o computador de maneira segura quando pressionado. Isso aconteceu porque muitos usuários criaram o hábito de desligar seus computadores através do botão enquanto ainda usavam as versões anteriores ao XP, o que muitas vezes acabava “estragando” o sistema operacional.

No Windows Vista essa função não foi alterada, porém no Windows 7 a história mudou. Caso você ainda não tenha ligado o nome à pessoa, o botão "Power" fica na torre (às vezes chamada de CPU) do seu computador. As opções disponíveis para a substituição são aquelas comumente encontradas através do menu Iniciar no momento em que você vai desligar: reiniciar ou trocar de usuário do PC.

O  botão

Mude o modo como você interage com o botão Power
Para realizar a troca, clique com o botão direito do seu mouse sobre a Barra de Tarefas e escolha a opção “Properties” (Propriedades).

Propriedades

Agora, selecione a aba “Start Menu” (Menu Iniciar), clique sobre “Shut Down”, ao lado de “Power button action” (Ação do botão Desligar), e escolha uma destas opções: “Switch user” (trocar usuário), “Log off” (desconectar a conta de usuário atual), “Lock” (bloqueia o computador), “Restart” (reiniciar), “Sleep” (hibernar) e “Shut down” (desligar).

Opções

Escolhida a ação desejada, basta clicar em “OK” e testar se funciona!

Gostou desta novidade e pretende seguir os passos deste tutorial? Já conhecia esta possibilidade e já havia alterado a ação do botão Power? Comente!

publicado por jorgepc às 01:22
sinto-me:

Quer instalar o Windows no Mac e não sabe como? O Baixaki preparou um guia mais que completo que explica e simplifica cada passo da ferramenta BootCamp.

Para alguns, uma verdadeira blasfêmia. Para outros, simplesmente necessário. A instalação de Windows em um Mac pode até dividir opiniões, mas, quando você menos perceber, o sistema Sistema operacional Operacional de Bill Gates fará falta - nem que por um breve segundo.

De cada 100 usuários de computador no mundo, cerca de 88 optam pelo Windows, nove ficam com o Mac OS X e o restante é divide-se entre Linux, iPhone etc. Mesmo com todas as falhas e desvantagens já conhecidas, o Windows retém a maior fatia de market share e isso não se discute.

Por ser o Sistema mais utilizado no mundo, o foco de muitas empresas de software está no Windows, deixando o Mac em segundo plano, o que implica na quantidade de programas disponíveis para o Mac OS X. Claro, em mais de 90% das situações, o usuário acaba por conseguir um programa equivalente - e muitas vezes gratuito!  Entretanto, o problema principal está em softwares específicos  que suportam apenas o Sistema Operacional  da janelinha.

Dois  sistemas, um computador.

Você usa um Mac, você ama seu Mac, mas o programa de sua empresa só roda no Windows. O que fazer? Você ama jogos. Seu jogo favorito só está disponível para Windows. E agora?

Para contornar essa situação, o Mac OS X oferece uma solução eficiente que coloca o Windows dentro do seu Mac: o BootCamp. O Baixaki traz para você um guia completinho sobre como unir estes dois Sistemas Operacionais em um só Mac. Vamos lá?

O  que é?

O BootCamp é uma ferramenta presente no Mac OS X 10.5 e 10.6 que permite rodar o Windows em versões compatíveis transformando o Mac em uma máquina dual-boot. Isso quer dizer que você poderá escolher inicializar o Sistema com o Mac OS X ou com o Windows.

O que devo ter em mãos?

- O DVD de instalação do Windows XP, Vista ou 7*
- Um Mac Intel com Mac OS X Leopard ou Snow Leopard
- Os DVDs de instalação do Mac OS X
- Espaço livre no HD (mínimo de 10GB)
- Algumas horas de paciência

Mãos  à obra!


1. Prepare o Mac

Antes de começar qualquer processo relacionado ao BootCamp em si, é interessante fazer uma faxina no Mac e liberar espaço em seu HD. Após mandar alguns entulhos para a Lixeira, é importante também fazer um backup de segurança de seus principais arquivos.Não precisa ficar nervoso! É pouquíssimo provável que alguma tragédia aconteça, porém, o seguro morreu de velho!

2. Luz, câmera...


Se estiver usando um MacBook, conecte-o à tomada, faça o login em uma conta de administrador e encerre todos os programas abertos - inclusive aqueles que ficam na Barra de Menu e são frequentemente esquecidos.

3. Ação

É hora de executar a ferramenta do BootCamp (Aplicativos -> Utilitários -> Assistente do BootCamp) e criar uma partição em seu disco rígido, ou seja, dividi-lo em duas partes: uma para o Mac e outra para o Windows.

BootCamp.


Com o BootCamp, você só precisa clicar no separador e movê-lo (veja imagem abaixo), até que o tamanho das partes esteja de acordo com aquilo que você precisa. Para o Windows, um pouco mais de 10GB é suficiente, no entanto, vale lembrar que se você for instalar programas pesados, é melhor garantir o dobro de espaço (20GB).

Partição de disco.

O processo de partição deve demorar alguns minutos e não é aconselhável que você use seu Mac enquanto isso. Pegue uma revista, uma xícara de café e seja paciente! Assim que for criada, a partição está pronta para receber o Windows. Então, insira o DVD do Windows no Mac e clique no botão “Iniciar Instalação”.

4. União de dois universos

Com o disco de instalação do Windows no drive, o Mac irá reiniciar e você deve seguir a instalação padrão. Sem truques ou complicações, a instalação é tranquila e só há uma coisa que você precisa saber: o Windows irá pergunta em qual disco o Sistema será instalado. A resposta é rápida: na partição do BootCamp, obviamente.

No entanto, esta partição precisa ser formatada em uma extensão que possa ser lida e escrita tanto pelo Windows quanto pelo Mac. Tudo o que você precisa fazer é selecionar a partição em que está escrito BootCamp e clicar em “Opções de disco (Avançado)”. Nestas opções, clique no botão “Formatar” e aguarde. Assim que for terminado o processo, clique em continuar e siga as instruções na tela.

Formatar a partição.


Após o processo de instalação em si, em que não há nada a ser feito a não ser esperar, você deve preencher as informações iniciais sobre data e horário, nome do usuário e senha. Feito isso, o Windows está quase pronto para ser utilizado.

5. Golpe final

Executável da Apple.


Agora que está tudo devidamente instalado e funcionando, retire o disco do Windows de dentro do Mac e insira o DVD 1 do Mac OS X. O Windows irá mostrar uma pequena janela com a opção de um executável da Apple. Neste programa está uma série de modificações do próprio BootCamp que devem ser instaladas no Windows. Além disso, todo o suporte à iSight e ao microfone embutido é feito a partir deste executável.

Fácil, não?

Para você ter noção do tempo gasto no processo de instalação, testamos o Windows Vista e o Windows 7 em nosso Mac Mini ainda com o Mac OS X 10.5 Leopard. O Vista levou cerca de uma hora e meia para ser instalado, enquanto o Win7 ficou com surpreendentes 40 minutos. Todo o processo é muito mais simples do que você imagina e, apesar de particionar discos e instalar Sistemas, fique tranquilo: seu Mac estará a salvo!

Como  gerenciar dois mundos

Pronto, os grandes rivais Mac OS X e Windows se tornaram vizinhos e cabe a você saber como usá-los corretamente. Antes de pular de cabeça nesses dois Sistemas Operacionais, há algumas coisas que o usuário Mac deve saber ao utilizar as facilidades do BootCamp, portanto, leia com atenção.

Ao ligar o seu computador, é provável que o Windows inicialize automaticamente, como Sistema primário. Há um jeito simples de escolher com qual dos dois SOs o seu Mac irá inicializar toda vez que você liga o Macligado. Para isso, basta pressionar a tecla Option (ALT) assim que a tela cinza aparecer.

Escolha o sistema para boot.

Teclado

Tecla Option é o ALT do Windows
Tecla Command é a tecla Windows
Tecla Delete é o Backspace do Windows
Tecla F14 é o PrintScreen do Windows

*Sobre o Windows 7 no Mac

O BootCamp já oferece suporte ao Windows 7?

Não. Segundo a Apple, o suporte completo só será liberado no final de 2009.

Mesmo sem suporte, o Windows 7 funciona com o BootCamp do Leopard?

Funciona, mas apresenta mil e um problemas.

E o Snow Leopard?

A equipe Baixaki não testou o Windows 7 no com o Snow Leopard, mas tem muita gente nos fóruns e comunidades que testou e aprovou. Se a ansiedade for grande e você não conseguir esperar até o final do ano pelo suporte oficial, você pode até tentar, mas lembre-se: o risco é por sua conta!


Baixaki Mac.


É isso aí. Agora você já está apto para particionar seu disco rígido e trazer o Sistema Operacional de Redmond para o pomar! Você já usa o BootCamp? Tem mais alguma dica? Compartilhe com os MacManíacos!

publicado por jorgepc às 01:19
sinto-me:

Descubra como transferir arquivos, usuários e configurações do seu SO antigo para o novo!

Você decidiu migrar para o Windows 7, mas ainda não sabe como transferir os seus arquivos do Sistema Operacional antigo para o novo? Pois aqui você descobrirá como fazê-lo de maneira simples, utilizando-se de um recurso do próprio Windows 7!

Neste artigo abordaremos a transferência tanto a partir do Windows XP quanto do Vista, porém em ambos será possível utilizar o programa Transferência Fácil do Windows. No Windows Vista, além desse programa, também ensinaremos como fazer tal transferência de modo manual, para o caso de o meio simples não funcionar.

Transferência Fácil do Windows

Diferente do Windows 7 e Vista, nos quais o Transferência Fácil do Windows faz parte do SO, o Windows XP requer a instalação do programa para possibilitar a transferência. Para baixá-lo, basta clicar aqui.

Windows XP

Instalado o programa, execute-o e, na janela aberta, clique em “Avançar” (caso não haja atalho na Área de Trabalho, procure-o no Menu Iniciar). A tela seguinte mostrará três opções de transferência: “Um cabo de Transferência Fácil”, “Uma rede” e “Um disco rígido externo ou unidade flash USB”. A primeira requer um cabo específico, o qual deve ser adquirido à parte; a segunda possibilita a transferência de um computador para o outro através de uma rede; já com a terceira você pode colocar os seus arquivos em um pendrive ou HD externo.

Opções principais

Ao escolher a segunda opção, você deve definir o seu computador como sendo o “Antigo”. Enfim, copie em um papel o código dado pelo programa (você o usará para conectar um computador ao outro através do Transferência Fácil do Windows). No computador com o Windows 7, abra o Menu Iniciar e digite “trans” para que a opção “Transferência Fácil do Windows” apareça. Siga o mesmo caminho seguido no XP, porém selecione o computador atual como sendo o “Novo”. Na tela seguinte, escolha a segunda opção, avance, e insira o código anotado para conectar ambos os computadores.

Conectados os PCs, clique em “Personalizar” para escolher quais pastas serão copiadas. Em “Opções Avançadas” você pode definir qual usuário terá seus arquivos copiados, assim como quais partições serão escaneadas por arquivos. Então, definido aquilo a ser transferido, clique em “Transferir” para copiar tudo.

Seleção

Findo o processo, você pode verificar quais arquivos foram copiados, assim como a lista de programas que não constam no seu Windows 7, mas que estão instalados no seu XP (só é possível visualizar, no caso de programas não há como transferir os já instalados de um SO para o outro).

Por sua vez, para salvar seus arquivos em um pendrive: inicie o programa desde a primeira tela, avance, clique sobre "Um disco rígido externo ou unidade flash USB", defina o computador antigo, escolha quais arquivos serão transferidos, crie uma senha (opcional), navegue até onde você deseja salvar o "Arquivo de Transferência Fácil" e avance até ser possível fechar o programa. Para salvar esse arquivo de backup em um CD ou DVD, simplesmente utilize um programa com tal função e grave o arquivo criado pelo Transferência Fácil do Windows.

Gravando

Windows Vista

Para acessar o Transferência Fácil de Windows em seu Vista, basta digitar “trans” no Menu Iniciar e executá-lo. Diferentemente do Windows 7, o Vista requer que quaisquer programas abertos sejam fechados enquanto ele estiver sendo executado. Portanto, feche tudo aquilo aberto antes de rodá-lo.

Uma vez aberto, avance, inicie uma nova transferência, defina o computador como antigo, escolha a segunda opção, clique em “Usar uma conexão de rede”, aprove a desativação do firewall, escolha “Não, eu preciso de uma chave”, copie o código gerado e insira-o no Windows 7 (da mesma forma feita no XP).

Para utilizar um pendrive como meio de backup, ao invés de escolher a opção “Transferir diretamente (...)”, escolha “Usar um CD, DVD ou outro tipo de mídia removível”. Em seguida, defina qual das três formas deseja usar e a unidade de destino, marque os usuários que terão os arquivos copiados (em “Opções avançadas” podem-se definir quais pastas serão copiadas) e espere a conclusão do processo.

Seletor avançado

Windows 7, restaurando usuários salvos em pendrive

Aberto o programa, avance e escolha a opção "Um disco rígido externo ou unidade flash USB", defina o computador novo, clique em "Sim" (mas antes conecte o pendrive ao computador), navegue pelo sistema até o local no qual foi salvo o arquivo de backup (extensão MIG), escolha os arquivos a serem copiados e clique em "Transferir".

Windows Vista, o jeito "braçal" de fazer as coisas

O método manual é bastante simples. No Vista, utilizando uma conta de usuário diferente daquela que terá seus arquivos copiados, vá até “C:\Usuários” e entre na pasta referente ao usuário desejado. Agora, clique em “Organizar” e selecione “Opções de Pasta e Pesquisa”. Então, dentro da aba “Modo de Exibição”, procure por “Pastas e arquivos ocultos” e marque a opção “Mostrar pasta e arquivos ocultos”. Feito isso, atualize a pasta do usuário escolhido (aperte F5) e copie todo o conteúdo presente nela para um pendrive (ou grave-o em DVD).

Por fim, no seu computador com o Windows 7, crie um novo usuário e, utilizando uma conta diferente daquela recém-criada, cole o conteúdo copiado na pasta do usuário criado, substituindo tudo aquilo existente nela (menos a pasta “Máquinas Virtuais”, pois ela não existe originalmente no Vista). Em outras palavras, crie o usuário “Novo PC” e, sem sair da conta que o criou, cole os arquivos do usuário “Antigo PC” (do Vista), de forma que eles substituam os arquivos da pasta do usuário “Novo PC”.

Conseguiu migrar sem perder seus arquivos? Ainda resta alguma dúvida? Comente!

publicado por jorgepc às 01:13
sinto-me:

Aprenda como usar o programa Luxand Blink! para conectar o seu usuário do Windows sem digitar senha alguma!

 

Se você não é a única pessoa com acesso total a determinado computador, proteger as informações nele contidas é uma ideia sábia. Para isso, senhas podem não ser a melhor estratégia - principalmente quando você tem pressa e precisa digitar uma que seja quilométrica e complexa (misturando letras maiúsculas com minúsculas, números e símbolos).

Quem possui webcam não precisa mais se preocupar em memorizar senhas com grande potencial de esquecimento (do tipo que você anota num papel e alguém acha quando você não está por perto). Hoje vamos ensinar a você, caro usuário do Portal Baixaki, como configurar o programa Luxand Blink! para realizar o login no Windows através de reconhecimento facial.

Baixe o  Luxand Blink!

A instalação

O instalador do Luxand Blink! é um pouco diferente daqueles a que você deve estar acostumado, mas não chega a ser difícil de entender.

Instalador

Depois de executá-lo, clique em “Options” para definir em que pasta ele deve ser instalado e selecione “OK”.

Opções

Novamente na primeira tela, escolha “Luxand Blink! License agreement”, leia a licença (caso entenda inglês) e clique em “I Agree”.

Licença

Enfim, clique sobre “Install Luxand Blink!” para iniciar o processo de instalação.

Identificação de usuário

Uma vez instalado, a janela de configuração é aberta. Clique em “Next”.

Janela de  configuração

A tela seguinte mostra como você deve mexer seu rosto para que o programa identifique seu rosto corretamente. Clique em “Next”.

Gire da direita para a  esquerda

Escolha qual webcam deseja que seja utilizada para a identificação facial (se possível, escolha a com melhor resolução - no caso de haver a opção de escolha entre mais de uma).

Escolha a webcam

Sente-se de modo semelhante àquele que você costuma sentar em frente ao computador. Nada de poses (exceto se você deseja fazê-las sempre que precisar acessar seu usuário). Gire a cabeça para a direita e esquerda, vagarosamente. Porém, tente fazê-lo antes de a barra verde, abaixo do vídeo, ser preenchida.

Gire para ambos os  lados antes de a barra encher

A última tela da captura de rosto serve para relacionar a face obtida com a conta de usuário com a qual você está logado. Digite sua senha, caso tenha uma, e clique em “Finish”.

Insira sua senha

Ativação do reconhecimento facial

Feito tudo isso, o Luxand Blink! passa a ficar a rodar em segundo plano. Clique duas vezes sobre ele para abri-lo. Ou use o botão direito e selecione “Settings”. A opção “Disable” desativa o reconhecimento facial na tela de login, enquanto “Don’t run on startup” faz o programa não ser carregado junto ao Windows durante a inicialização.

Barra de Sistema

A janela aberta conta com várias opções. “Enable” ativa o reconhecimento facial. “Remember” abre a tela de captura de rosto (visto no item anterior). “Camera” escolhe a webcam utilizada. “Help” abre o arquivo de ajuda. “Don’t run” desativa a inicialização do programa junto ao Windows.

Opções

“History” mostra o histórico das fotos tiradas quando você faz o login no modo “High Convenience”. Esse modo identifica o rosto registrado, não importando se você está de peruca ou deixou a barba crescer. Ele aprende com o tempo, com isso você não precisa sempre capturar uma nova imagem.

Embaixo: tentativa frustrada de login

“High Security” é mais seguro. Contudo, pode barrar seu login caso você pinte o cabelo, por exemplo. Ele pode ser útil, porém, caso alguém com traços muito parecidos com os seus tente realizar o login se aproveitando disso.

Faça o teste

Agora que você relacionou seu rosto com uma conta do Windows e ativou a identificação facial do Luxand Blink!, faça o logoff e veja se o login é feito corretamente quando seu rosto for identificado. No entanto, não se esqueça de relacionar seu rosto à conta certa e de sempre sentar na mesma posição em que a captura facial foi realizada!

Reconhecimento na tela de login

Você conseguiu seguir todos os passos e fazer o Luxand Blink! funcionar como deve? Deixe um comentário caso ainda haja qualquer dúvida!

publicado por jorgepc às 01:11
sinto-me:

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

19
20

27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO